O Rei do Mundo

O espetáculo PeerGynt, montado em 1867, é um clássico do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828 – 1906) e traz as aventuras de um jovem que sai de sua aldeia para ganhar o mundo. A montagem ganha uma livre adaptação para o universo brasileiro com o nome de O Rei do Mundo – Uma Comedia Sobrenatural e com texto e direção de Roberto Alvim. A peça é protagonizada por EduardoSterblitch etambém conta com Louise D`Tuani, Diego Becker, Claudinei Brandão e Thiago Brianti. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A trama é uma comédia sobrenatural que conta a história de Pedro Peregrino, de sua infância até a velhice. Mentiroso, irresponsável, egoísta e sem escrúpulos, o personagem deseja se tornar rico e poderoso, além de estar disposto a passar por cima de tudo e todos para alcançar sua meta: ser o Rei do Mundo. A narrativa o acompanha por diversas paisagens e encontros com personagens mágicos, que o ajudam a descobrir seu estranho destino, e revela uma visão egoísta do mundo que, por consequência, resulta em solidão.

 

Com tons de acidez e dramaticidade, a montagem faz um retrato do Brasil contemporâneo. A ideia é que a plateia se veja, se identifique e encontre novas maneiras de viver e de encarar o lado obscuro do país com toda a corrupção e violência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 27 anos de carreira, Roberto Alvim fez mais de 100 espetáculos e dirige sua primeira comédia. É considerado um dos principais encenadores na cena teatral paulista contemporânea. Está à frente do Club Noir desde 2006, ao lado da atriz Juliana Galdino. Dirigiu e adaptou as peças “Leite Derramado”, a partir da obra de Chico Buarque; “O Balcão”, a partir de Jean Genet; “Caesar”, a partir de William Shakespeare;Kiev, do uruguaio Sergio Blanco. Alvim já lecionou dramaturgia em várias instituições, como a Universidade de Córdoba, SP Escola de Teatro, ELT – Escola Livre de Teatro de Santo André e o Núcleo de Dramaturgia SESI-British Council.

Uma espécie de talk show onde interage com a plateia e com seu jeito irreverente, que o faz tão querido por uma legião de fãs, faz perguntas, canta e dança com pessoas escolhidas entre os espectadores, que sobem ao palco para participar das cenas.